terça-feira

carta nº7


acho espantosa a finitude do que fomos. fizemos teatros tão credíveis, viagens tão felizes, trocámos tantos fardos tão pesados, que hoje custa a crer que chegámos a acontecer com tanta intensidade. espero que não consigas dormir quando souberes no que me tornei, para eu começar a conseguir adormecer no teu lugar.

1 comentário: